Tudo o que vem à rede é peixe

19
Out 09

por

Maria José Nogueira Pinto

Jurista<input ... >, 24 Março de 2006

<input ... >

Madrid, sem novidade, nestes primeiros dias de Março: nas livrarias mais uns títulos sobre a Guerra Civil (que este ano faz 70 anos...) geralmente também sem grande novidade ou originalidade, talvez com excepção dos que tratam dos aspectos económicos do conflito, como a obra de Sanchez-Asiain.

Mas a temporada política está viva, agitada, conflituosa, sobretudo de há dois anos para cá, quando um golpe estratégico do terrorismo internacional da Al-Qaeda, um gesto de vingança e de dissuasão, se abateu sobre Madrid, nas vésperas de umas eleições gerais que as sondagens davam ganhas pelo PP, e em 48 horas, mudou o resultado!

A Espanha no período do Governo de Aznar e do PP aproveitou bem, sobretudo na economia, o fôlego de crescimento que vinha do desenvolvimentismo dos anos 60 e 70, e consolidou-se como grande potência económica; este período foi também marcado por uma fortíssima criatividade nas artes, nas letras, na moda, no cinema; mas esta pujança espanhola parece agora empalidecer, desde que os atentados terroristas de há dois anos, levaram ao poder o sr. Zapatero.

Na verdade, dois anos depois do início do Governo socialista, a Espanha está a braços com seriíssimos e gravíssimos problemas: a radicalização dos separatismos basco e sobretudo catalão, que põem em sério e próximo risco a unidade do Estado, as erráticas "negociações" com a ETA, que dividem fortemente os espanhóis, com uma parte do país indignada com as cedências do Governo ao grupo de guerrilha armada; os aspectos de clara hostilidade à Igreja Católica e aos católicos, como a controversa aprovação dos matrimónios entre pessoas do mesmo sexo, que trouxeram para a rua centenas de milhares de cidadãos em protesto; a radicalização das questões da emigração, que fazem primeiras páginas de violência e tragédia humana.

É certo que o problema dos nacionalismos basco e catalão não foi inventado pelo PSOE e por Zapatero, é um problema estrutural de qualquer Estado plurinacional democrático, como a monarquia parlamentar espanhola.

No País Basco, a ETA levou a cabo, durante anos, uma campanha de "limpeza ideológica" que acabou por forçar a sair da região, por intimidação, a maior parte dos quadros locais pró-espanhóis, e foi silenciando resistências.

E por isso hoje o Partido Nacionalista Basco pode apanhar, democraticamente, as nozes das árvores que a ETA foi abanando com o terror.

Quanto à Catalunha, os nacional-independentistas catalães construíram discretamente - e foi sobretudo o papel de Jordi Pujol e do seu partido CIU (Convergência e Unidade da Catalunha) - as bases jurídicas e económico- -financeiras de um Estado catalão; depois, por uma política de nativismo "cultural", levaram primeiro à priorização e depois à hegemonia da língua e da cultura catalãs, em relação ao castelhano.

Hoje, seguem nessa via paulatinamente, mas têm um partido nacionalista radical, a ERC, republicano e declaradamente independentista, que vai "abanando as árvores" mais à frente...

Assim, nos complicados equilíbrios e contradições, no emaranhado da "linguagem" e das concessões e negações "institucionais", o Estatuto da Catalunha acabará por aceitar que a Catalunha "é uma Nação".

A ponto de o PP catalão votar no Parlamento Regional contra. Mas não satisfez suficientemente o líder nacionalista republicano, Carod Rovira, que, apesar de satisfeito com 85% do texto vai votar contra!

Do mesmo ano nas Cortes nacionais, o Estatuto só conseguiu 56% dos votos, contra a expectativa de 70% de Zapatero.

Oficialmente, o Governo socialista de Madrid procura disfarçar e manter aquele optimismo simpático, de quem acha que se não se falar ou não forem vistas as coisas, os fantasmas, os perigos, as secessões, as revoluções, eles não acontecerão, serão mantidos à distância não vão materializar-se. É uma política, que infelizmente, também conhecemos por aqui, e de sobra...

Só que a "Espanha é diferente", no sentido em que os fantasmas - o separatismo, o terrorismo, a fractura social ideológica - estão lá.

E podem, com a sua ameaça e a sua presença, atingir o "milagre económico espanhol", como as bombas daquela sexta-feira 11 de Março atingiram uma vitória anunciada como certa do PP.

Mesmo quando a ETA anuncia tréguas.

publicado por RiViPi às 15:09

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
15
16
17

21
22
23

25
26
28
29


comentários recentes
Sou filho de mãe portuguesa e de pai brasileiro te...
Maravilhoso!!! Parabéns pelo artigo. Me ajudou mu...
Caco de Castro Quando a marca Garbin vai voltar???
que vídeo e esse fdp
ne, esse vagabundo n fala nada que presta fdp vf45...
Excelente texto! Por mais que existam rusgas entre...
idiotas vagabundos
Achei muito bom ,muito bem explicado ,legal ,parec...
Pura beleza e força
Interessante, obrigado por partilhar, Luisa
Adorei,Alexandra
Mas vamos deixar esta questão para um futuro próxi...
O que é que acha que lhe faz pensar que ao reduzir...
Parece que o sabão azul e branco já passou à histó...
olá a todos! adorei...mesmo! já agora deixo aqui u...
Do meu ponto de vista não será a forma mais adequa...
Não agradeça. Sobretudo porque este livro não foi ...
foi um artigo que eu gostava. Obrigado por compart...
muito obrigado para o livro. realmente não pensav...
Um comentário interessante ....!
Cara Rosa, lamento que o vídeo não a tenha ajudado...
Boa noite, após muito procurar vim ter aqui nem se...
Gosto especialmente do Tony Amado. O que mais me i...
Kuduro underground . Uma verdadeira relíquia. Mais...
Imagino... Quando estiveres a ouvir as doze badala...
Tenho saudade de Portugal e estas fotos sao tao bo...
Obrigado pelo comentáro.
Muito bom este texto! E engraçado também!
Mais uma vez em cima do acontecimento, embora ache...
Compreendo o seu ponto de vista, TijoloAzul. A Lín...
Na vida nem 8 nem 80. Concordo que o exces...
Obrigado pela correção! Participe sempre!
Por favor, substitua "agricula" por AGRÍCOLA
Alegro-me. Volte sempre e participe.
Enquanto responsável da empresa fico satisfeito pe...
Não tem que agradecer, Ricardo. Quer partilhar a r...
Obrigado pelo post que colocou no seu blog. Felici...
Obrigado pelo teu comentário, Isactamente. Já um p...
Adoro Dulce Pontes!!!!!Em particular, o Amor a Por...
http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contenti...
Obrigado pelo reconhecimento. Quando é que entrega...
Olá!É com todo o gosto que informamo-lo que tem u...
Olhe lá. Quer ensinar o pai a fazer filhos? Ou pag...
Não tenho por hábito responder e, às vezes, aceita...
Também esta citação a Irondino de Aguilar foi toma...
Naturalmente, falta referir que o fragmento referi...
Obrigado pelo seu comentário, Fernanda. Realmente ...
Absolutamente notável este post, sobre um tema que...
E maneiras não existem! Vê lá se te atinas anónimo...
lol Não te iria enganar 6! Tá previsto até um almo...
Posts mais comentados
7 comentários
5 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
1 comentário
1 comentário
1 comentário
1 comentário
1 comentário
1 comentário
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO